3 de março de 2010

O Grifo e seus usos oraculares

Estive anteontem com o Grifo; conversamos, na medida do possível (os rugidos dele atrapalham um pouco) - e não perdi a oportunidade de uma provocaçãozinha, o que qualquer pessoa de bom senso acharia o cúmulo da imprudência, visto o animal ter mais de uma tonelada.
- Bem, meu caro Grifo, suas profecias parece que não foram muito exatas...
O bicho virou a cabeçorra pro meu lado e achei que era oportunidade para uma pausa.
- De forma alguma, um candidato inviável vai dar lugar a uma figura de grande popularidade, é justo como eu disse...
Rá, pensei comigo mesmo. É como naquela fábula - o general vai morrer na guerra; se é o consulente ou seu adversário, aí já não é mais problema do oráculo.
Postar um comentário