7 de novembro de 2007

O pior cão do mundo

Eu tive o pior cão do mundo, era um sujeito impaciente, irritadiço, cheio de manias e achaques, mimado, exigente, espaçoso e muito inteligente. Também era capaz dos olhares mais cheios de sentimento que já vi, além de ter um bafo medonho. Foi nosso companheiro mais próximo por doze anos e lá vai; escutou poucas e boas, e disse outras tantas para nós. Eu amei o Bacharel, nós amamos ele lá em casa, e agora penso nele como uma presença. Essa noite escutei ele latir, acordei.
Postar um comentário