29 de novembro de 2011

PM: o Perigo Moral

Instituição podre, a quintessência da PM, que recruta entre as classes mais baixas da sociedade, é ser anti-povo.
O Povo quando se manifesta é reprimido pela PM.
O criminoso quando comete seus crimes pode obter a cumplicidade da PM. Basta que entre em um acordo razoável.
A Polícia Militar do Estado de São Paulo é o sintoma mais visível de que o Estado Brasileiro nasceu e criou-se para dominar e reprimir seu povo, não como instrumento de defesa e crescimento do povo e da nação brasileira, mas como instrumento para a pilhagem do país e a intimidação do povo.
Nem o exército brasileiro tem mais esse viés, acredito, pois há muito entre os altos oficiais ficou patente que do dever de defender a Pátria decorrem certas consequências políticas incontornáveis.
Mas a PM em São Paulo cotidianamente pratica a TORTURA e agride ao povo.
E há políticos nefastos que orgulham-se de aparelhar o serviço público de São Paulo com o autoritarismo, a ignorância e a brutalidade dos coronéis da PM, que têm uma virtude que agrada sobremaneira aos políticos mais torpes: sabem por instinto de que lado está o poder, e sabem intimidar aqueles a ele contrários.
Postar um comentário