19 de agosto de 2009

A máquina paródica V

- Mas é incrível, disse ao animal, que sorria, - uma coisa estranhíssima essa máquina! Veja que em poucos minutos já senti efeitos inegáveis!

- A indução de consciência é notável, de fato, disse o Grifo. - Temos pouco tempo antes de sentirmos o efeito rebote, também interessante.

- Mas como efeito rebote, ia perguntando, já tardiamente; no arrabalde, as nuvens do enterdecer começaram, conspiratórias, a parecer gás engarrafado, o que não deixava de ser justo, pensava eu, notando, em consciência duplicada, a alteração das percepções.

Vi-me num salão amplo, um galpão em que grandes condutos passavam lá em cima, no teto alto, e o sentido da profundidade quase se perdia, de tão grande o prédio; a parede a nossa frente, quase a perdíamos de vista. O Grifo, notável, continuava com aparência de Grifo, o que me deu uma ponta de dúvida quanto ao caráter alucinatório da coisa toda.
Postar um comentário