30 de outubro de 2009

Ó tempo tuas pirâmides!

Na biblioteca de Babel, Borges imagina o eventual leitor, que percorre os hexágonos, e encontra apenas volumes desconexos, absurdos, isso durante a vida inteira.

asmnxbcvoihj20398nsdfvionwenf09 weorn   sdifjsd09fofhdsipofh okjadsn f sdf ´padsfpkansflkn falknf apskdfnmasdmln asld as zxijocvnhsipodfn adskmf aspidjo324ei9dfnewofinolr sdcv´-poijdnmasfpsionbvdsfvuobew ads sipdfjskj sdpifjn rj´klmzxn c, sdio asfdf adspfnafn f  sdipofnsdlf nfreipo

e assim por diante. Apenas uma vez, em toda sua vida, ocorreu de encontrar um único período, inteligível; e esse período era - ó tempo tuas pirâmides!
Postar um comentário